Não fuja !



                                                                         Imagem: Web

      

Acabo de ler o livro “ O demônio e a Srta. Prym “ do autor Paulo Coelho onde o bem e o mal travaram uma batalha. Enquanto lia, fui remitida a lembrança de uma lenda que fala sobre o combate que existe dentro das pessoas. E que no final vence o lobo que mais alimentamos.
Por outro lado, Buda ensinou a seus discípulos que os extremos deviam ser evitados, que o caminho do meio é a forma de chegar ao equilíbrio.

 Como podemos evitar extremos? 
 Em se tratando de bem e mal o equilíbrio deixa de ser importante?
 Estaremos mentalmente doentes quando há a ausência do equilíbrio entre o bem e o mal?

A última pergunta que me fiz foi baseada na citação do filósofo grego Alcméon que certa vez disse que saúde é o equilíbrio de forças contraditórias. Considero o bem e o mal um exemplo fortíssimo de tal força.
Em minha opinião todos estamos aqui em uma missão, mas, muitas vezes acontecem situações conosco ou com pessoas que estimamos que não nos agradam e sem perceber nos afastamos de nosso caminho.
Não é fácil para mim, suponho que para ninguém ver sonhos desfeitos...
Achamos que sabemos qual lobo alimentamos e que está sendo alimentado pelas pessoas próximas a nós, mas a verdade só sobrevive no interior de cada um.
Experimente pelo menos uma vez por mês fazer uma faxina interior e ficará surpresa com o resultado. 


 Claudiane Ferreira

Postagens mais visitadas