Viciados em fofocas



Impressiona-me o talento que muitas pessoas têm em criar fofocas. Já cheguei à conclusão que para muitos, ela é um vicio.
Ninguém está imune em ser vitima dela: Eu não estou você não está.

Pare para pensar em quantas fofocas você já ouviu, viu ou fez hoje... Deprimente não?
Só tomamos consciência que ela é veneno quando paramos para analisar e nos colocamos no lugar de vitima de uma determinada situação.

Eles estão por toda parte. Até mesmo dentro das nossas famílias.
Aquela que não tiver um fofoqueiro de plantão que atire a primeira pedra!
É triste pensar que somos alvo de pessoas que queremos tão bem.

Tira-me o bom humor estar em um ambiente com pessoas em que o único assunto é a vida dos outros. Silencio, porque o que não me agrega não me interessa.
Se nossa evolução depende de cada um cuidar da sua vida, penso que estamos engatinhando nesse processo.

Engraçado é que aquela mesma pessoa que faz fofocas sobre a vizinha, amanhã vai estar na vizinha fofocando de você.

A fofoca só existe porque tem gente que escuta, dá crédito, e que passa adiante.
Geralmente o fofoqueiro é uma pessoa com a autoestima baixa e precisa usar os defeitos dos outros para ocultar os seus. Falando e jogando uma pessoa contra a outra, seus fracassos passam despercebidos.
O fofoqueiro não pensa nas consequências antes de espalhar inverdades, como por exemplo: causar danos irreversíveis à moral de alguém.

Seria maravilhoso que se percebesse que cada um é responsável pelas suas atitudes e ninguém tem nada a ver com isso.
Seria divino usar a convivência com outras pessoas para compartilhar assuntos relevantes, que agregam e que elevam nossa existência.



Joana Tiemann

Postagens mais visitadas