TEORIA DA MINI-SAIA



   Vem ela segura passeando pela calçada mostrando mais do que devia, a perna longa e esticada, musculada e torneada. Criando dores de pescoço em cada curioso atrevido. O vento soprando a mini ela segurando...ou tentando! Tentados estão aqueles que olham tal deslumbramento de monumento.
"Ah! Seus pervertidos" diz uma velha com inveja do tempo que era assim e os anos passaram por ela.
Bela aquela garota que passa ali aquela hora. Não tem quem não olhe, até pára trânsito! Passou a ser perigo para a sociedade.
Assobio daqui piropo dali...ela vai sorrindo sem sequer imaginar o que vai naquela mente mundana de quem olha e aclama essa beleza divina.
   Sabe aquela coxa de galinha que você vê na vitrine do botequim e lhe dá água na boca?
Esta perna dá que falar, além de alimentar a imaginação humana. Tem cara que não têm vergonha, até tenta soprar para a mini-saia levantar, tem outros que até babam( maneira de falar).
   Passou em seu carrinho um galã meio do fino, viu aquele pedaço de pano e ficou tramando. Travou o automóvel fazendo chiar o asfalto. Ah! moço atrevido esse! Meteu marcha a ré. Buummm! Bateu no poste e já se vê: Teoria da mini-saia.
Diz a moça segura passeando na calçada: " Coitado! Não sabe fazer mais nada. Essa é a paga de quem tem a mente conspurcada. É a teoria da mini-saia.".
Lá o cara se conformou, o seu carro amachucado só porque ele foi abusado.
   "Todo o mudo tem o direito de admirar a beleza mas não o dever de abusar dela."
E lá foi ela seguindo o seu caminho a mini-saia atrevida. Ela é como a vida mais curta que comprida.
Agora não esqueçam que nem tudo o que reluz é ouro e ninguém sabe o que está por debaixo do curto pano.
Teorias à parte, leiam a crónica sorrindo porque apesar de tudo brincar é preciso.

           
                                                            Nuno Garcia. 13/08/2014





Postagens mais visitadas