Minha escolha

Quando terminei a licenciatura, esforcei-me para saber bem as coisas que tinha aprendido. Tornei-me um bom professional, um orador cheio de argumentos, que encontra algorítmos e explicação para tudo, para a vida. Acho que dei-me bem nisso.
O tempo passou, eu precisava de um sentido para a minha vida. Afinal, eu nunca acreditara no que ensinava tão bem. Eu não sou um monte de células fruto de evolução, que carrega um cérebro sofisticado. E esses lindos animais? E as plantas? A vida? Porquê respiro? Como explicar porquê amo? O que é música? Isso tudo é irracionalidade? O que sinto é apenas resultado de arquitetura fisiológica? Porquê um conjunto de "barrulhos" para mim é música e outro é ruído?
Percebi e aceitei que há coisas que estão acima de mim. O mundo maravilhoso - queiram chamá-lo subjectivo - nunca será objecto de análise.
Por muito tempo blasfemei, neguei a religião, a Deus e sua existência. Tentei fazer parte de cultos -invoquei - mas Deus nunca veio. Fiz coisas más, para por Deus a prova. Sempre me perguntava "Porquê você não vem? Porquê não me castiga, se você existe?". Nada aconteceu.
Vejo esse lindo mundo com os olhos, oiço sons mágicos, e agradeço. Afinal de contas, não conquistei a vida que vivo. Ela me foi dada - dádiva. Nao há que explicar, há que agradecer.
Queria tanto encontrar Deus para agradecer  por tudo isso. Nada aconteceu, senão silêncio. Então, quem me deu a vida?
Percebi que os olhos são para ver, os ouvidos para ouvir. É bonito ver isso tudo...ouvir. Esperava ver Deus, para acreditar e agradecer.
Conformei-me, e vivi simplesmente a agradecer. Foi nesse agradecer que encontrei o que tanto procurava.  O encontrei!
Talvez você pense que eu tenha me tornado religioso e tenha aprendido a repetir cultos de adoração. Não! Só agradeco simplesmente. É minha oração. Não posso explicar, nem demonstrar.
O coração se preenche de gratidão e amor, mais do que palavras. Isso fecha a alma em um silêncio - se chama oração. Eu agradeco a Deus por tudo, pela vida. Não falo em minha oração - quem fala não consegue escutar.
Entendo porquê nunca tive respostas. A Deus você pode pedir, mas não exigir - "não" significa "não" - é também resposta. Nem tudo que você pede será aceite. O pedido significa "estou a colocar tudo em suas mãos...seja feita a vossa vontade!"
Seja grato! Não procure com os olhos, com os ouvidos. Eles são para ver e ouvir, respectivamente. A gratidão é o caminho. E quando você se cala para agradecer, você está em oração. No acto de agradecer (orar) não há religião, há DEUS.
Na minha busca, eu meditei muito até perceber que meditar não é orar...Quem medita, quer se libertar, quer parar de orar.
Eu tive medo de me zangar. Me sentia a pecar. Você pode zangar com Deus sim. A zanga também é divina, tal como a felicidade, o sorriso, a tristeza, o amor...por isso as vezes oro sorrindo, chorando...
Deus é amor, e o amor perdoa qualquer crise. Por isso se zangue com Deus.


Marcos André

Postagens mais visitadas