"FILHOS DE UNS PAIS MENORES..."

   Existem pessoas que nunca cresceram. Não tem a capacidade de ser elas próprias. Esperam sempre que alguém faça tudo por elas e depois gostam de massacrar quem lhes faz as vontades e as trata bem.
   Realmente elas não entendem o quanto é importante ter alguém ao lado que nos faz ver a realidade. Porém não guardam em si sonhos, realizações, sorrisos andam maior parte das vezes zangadas com a vida.
A vida não é um mar de rosas , temos que transpor os obstáculos que ela nos impõe. É a partir do berço que se fortalece e se prepara uma criança para a luta diária.
   Fico triste quando vejo os pais se gabando:
- Ofereci um carro, uma viagem, um bilhete para o concerto de uma banda famosa ao meu filho.
Meu DEUS que coisa errada estão fazendo na educação deles...não fazem eles lutar pelos seus objectivos. Assim os tornam fúteis desinteressados e nem se apercebem disso. Ficam como aquelas crianças que recebem um brinquedo num minuto, brincam, um segundo depois largam insatisfeitos e já querem um novo.
   Cria-se assim um problema que se nota em adultos, os chamados traumas. Eles crescem e vivem tentando chamar a atenção dos pais fazendo a maior das besteiras. Seguem por trilhos errados arranjam companhias nada aconselháveis e  acabam caindo na porcaria.
   Agradeço à minha mãe as palavras sábias: “Junta-te aos bons serás melhor  que eles, Junta-te aos maus e serás pior que eles.”.
   Gostaria tanto que percebessem que é importante ensinar os filhos a dar importância ao trabalho e a faze-lo com amor e alegria seja ele qual for.
Quando oiço alguém dizer: “ Quanto menos trabalhar melhor, trabalho é para os otários” apercebo-me logo que é uma pessoa sem berço. Pode até ter muito dinheiro mas realmente é totalmente oca.
  Eu que cheguei a estudar e a trabalhar sei avaliar bem o esforço. E sabem de uma coisa esses jovens lutadores são pessoas fortes, podem até cair mas se levantam de cabeça erguida. É nas adversidades que vemos quem tem força para seguir em frente.
   Muitas vezes chamam aos deficientes “ Filhos de um Deus menor” pois eu cá não acho isso certo. Tenho visto eles se adaptando à vida diária sem reclamar de nada, trabalhando com alegria, ganhando medalhas de ouro em provas de atletismo sem ficar atrás daqueles chamados “ normais” que passam a vida reclamando de tudo e de todos, da vida e de mais qualquer coisa.
Esses dos quais falo que nunca lutaram por nada e os pais os estragaram com mimos fúteis. Nunca aprenderam a dar valor as coisas porque tem tudo de mão beijada. São realmente “ Filhos de uns Pais menores”.

 

                                    Nuno Garcia 05/09/2014

Postagens mais visitadas