NÃO ACELERAR TANTO

NÃO ACELERAR TANTO
(Por Maristela Ormond)
www.sologif.net

               Meu pensamento está tão acelerado que às vezes acabo acreditando que estou ficando louca...
            Essa pressa, ou fome de fazer tudo muito rápido, está mexendo com as emoções, com a aprendizagem das pessoas. Estamos num ritimo tecnológico à velocidade da luz e nosso cérebro está assimilando tudo isso de forma voraz.
            O simples fato de pegar numa caneta para escrever e “comer” metade das palavras por engano, ops! Por engano ou o pensamento foi mais veloz que o corpo? A coordenação dos movimentos não está seguindo concomitantemente ao movimento cerebral.
            A quantos megas bites está meu cérebro? E o seu?
            Dia virá que comandaremos máquinas com os pensamentos sem haver razão para nos movermos para isso. Mas será que tudo isso que está acontecendo com os seres humanos é saudável? Parece-me que estamos numa crise de ansiedade sem retorno, pois a rapidez que nos envolve não nos deixa retroceder. Seria como voltar ao período da idade da pedra e jamais nos submeteríamos a tal coisa, pois temos pressa, muita pressa.
            Às vezes fico observando a correria das pessoas e me pergunto para onde iriam com tanta pressa, tanta ansiedade. Atrás do quê?
            Estamos ameaçando nossa saúde, ameaçando nossa convivência com os amigos, ameaçando perder nossos familiares em nome da ansiedade, em nome de correr atrás de algo que nem mesmo nos damos conta.
            Seria o momento oportuno de parar e observar em pouco mais que viver está sendo uma necessidade primordial, pois vamos acabar atropelados pela imposição a que esta sociedade consumista está nos levando e se isso não acontecer, tropeçaremos em nossos próprios pés sem sabermos por que caímos e aí sim, paramos, por força do destino, por força da imprudência.
            Tirar o pé do acelerador é a meta. Objetivo maior vida mais saudável. Será possível?







Postagens mais visitadas