Dentro de nós um vulcão prestes a entrar em erupção

Por que sentimentos ruins estão tomando conta das pessoas e elas os disseminam como se fosse um ato normal e corriqueiro?
Falo isso, pois ando assustada com o que muitos estão germinando dentro de si.
O que leva alguém a ser violento, sentir ódio, essa palavra tão horrível que causa arrepios?
Quando tomada pelo ódio, uma pessoa se torna imprevisível, faz coisas que pensaríamos ser incapaz de fazer.
Um caso recente foi os acontecimentos da eleição para presidente. E essa foi, sobretudo, democrática. Durante o período da campanha do segundo turno, que levou para a disputa dois candidatos, vi que o ódio é algo que está escondido num semblante de paz. Podemos comparar com um vulcão. Ninguém sabe a hora que vai entrar em erupção, mas com certeza, um dia vai. E quando isso acontece não se consegue deter, arrasa tudo que está a sua frente. Nesse caso especifico a amizade.
Vi eleitores dos dois candidatos digladiando-se como se fosse uma guerra.
O ódio nunca foi solução para nada, pelo contrário, você começa a ver a pessoa que cultiva esse sentimento, com outros olhos. Porque amor e ódio não casam, ou você ama ou odeia. É claro que todos nós temos momentos de raiva, isso é normal e saudável. Acredito! Mas sentir ódio hoje, amanhã e depois é tê-lo como parte da personalidade.
O meu mundo não é diferente de ninguém. Tenho altos e baixos na minha vida. Sinto tristeza, solidão, ansiedade, frustrações. Sentimentos que devem ser administrados, para que não nos tornemos vítimas das situações.
Devemos usar nossa energia para compartilhar sentimentos bons, é isso que vai mudar o mundo. 
Exercite a sapiência, a gentileza, a benevolência, o amor. O maior beneficiado, certamente, será você.

Joana Tiemann

Postagens mais visitadas