Invista, se vista de sua vida...

                                             
                                                         Arte e Cartoon - Guto Naveira




Se a vida nos consome com desejo, por que não abocanhá-la também?

Quem ou o quê energiza seu Eu? Que ações te fazem sentir-se vivo?

Creio que todos nós conhecemos, conheceu ou conhecerá, pelo menos, uma pessoa que apesar de respirar, percebemos que já partiu dessa vida...

Essa desconexão não acontece da noite para o dia. Em minha opinião, temos o dever de frequentemente vasculhar a nossa floresta mental, retirar as ervas daninhas físicas ou sensoriais que possam estar nos matando lentamente.

Sei não, é nada fácil retirá-las, pois já estamos acostumadas com sua presença.

Parafraseando Benjamin Constant, a tragédia da vida é que ficamos velhos cedo demais. E sábios, tarde demais.

Tenha sede de saber, não o saber enciclopédico, falo do saber saborear os momentos simples do dia-a-dia, o saber escutar o próximo, não só com os ouvidos, mas com o olhar. Reaprenda a aguçar os sentidos, busque um contato maior com a fagulha divina que habita o seu interior.

Saboreie a paz que traz uma oração, um mantra, uma reza...

“Segundo, Drummond,” o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que esquivando-se do sofrimento, perde-se também a felicidade.”

Então, meu conselho para mim e para você é invista, se vista de sua vida e doe sempre uma palavra vinda de uma escuta d’alma.

Claudiane Ferreira


http://gutonaveira.blogspot.com.br/






Postagens mais visitadas