Façamos a revolução – De agora em diante nessa data maternal só presentes vindos direto do próprio coração


                                                              Art:  Ria Sharon 


Façamos a revolução – De agora em diante nessa data maternal só presentes vindos direto do próprio coração

Por (Claudiane Ferreira)


Em tempos em que eu, você e a maioria já fomos contaminadas pela falsa ideia do que seja comemorar está data maternal... E saímos à compra e, também, já sendo mãe, inconscientemente ou não, esperamos o que iremos ganhar... Deixo aqui algumas possíveis reflexões.

A fundadora Anna Jarvis ao idealizar a criação do dia das mães fez na intenção de que "fosse um dia de sentimento, não de lucro"; que as pessoas tivessem oportunidade de passar o dia com suas mães e, na impossibilidade, talvez, escrever seus próprios sentimentos de gratidão... “Cartões piegas impressos ou telegramas prontos não significam nada, exceto que você esteja com preguiça de escrever para a mulher que fez mais por você do que qualquer outra pessoa no mundo".

Ao conhecer a verdadeira história do porque d’ela ter criado o dia das mães, me sensibilizei com os sentimentos da Anna que, enquanto lúcida, lutava contra o caminho torto e capitalista que sua ideia transformou-se e foi tomando conhecimento de que uma de suas últimas ações foi recolher assinaturas em uma petição contra o dia das mães que pensei o quanto seria maravilhoso se conseguíssemos conscientizar o maior número possível de pessoas a mudarem e começarem a dar presentes saídos do forno do coração, feito com suas próprias mãos.

E se não puderem contar com as mãos por algum motivo ou se elas se encontram trêmulas devido ao mal de Parkinson, como é o caso de minha mãe ou etc... Use sua voz, sua criatividade... Improvise uma oração, uma canção.

Mãe, obrigada pelas noites, pelos dias, pelas orações, pelas broncas, por ter me dado sempre o seu melhor. Pois não resta dúvida nenhuma que mãe que é mãe dá sempre o seu melhor.   


“Se fosse possível descobrir o primeiro e verdadeiro germe de todos os afetos elevados e de todas as ações honestas e generosas de que nos orgulhamos, encontrá-lo-íamos quase sempre no coração da nossa mãe.”

Edmundo de Amicis


Convido-os a lerem a matéria que me inspirou a convidá-los a participarem dessa nobre revolução





Postagens mais visitadas