Pessoas que são iluminadas e que nos fazem ser


Pessoas que são iluminadas e que nos fazem ser

Por (Claudiane Ferreira)

A concretude do dia a dia ajuda-nos a desconectar, mas, a causa principal dessa ausência de aproximação física no século XXI seria por conta da revolução tecnológica virtual ou a falta de amor, solidariedade, do querer ouvir com a alma... ?

Não é confortante perceber que a virtualidade tem afetado as relações pessoais e até mesmo o psicológico e que às vezes sequer nos damos conta. Se por um lado a tecnologia moderna é necessária, por outro também se faz necessário, e muito, o carinho físico.

 Há algum tempo atrás, ao passar no quarto de minha filha, achei bizarra a atitude dos cinco adolescentes que se encontravam ali. Eles não conversavam, riam, cantavam... Todos em seu mundinho virtual. Tudo tão diferente da minha época de adolescente.

A que ponto chegou à humanidade! Ainda bem que vemos pessoas engajadas na luta contra a robotização e na provocação de reflexões.

“Participei, dias atrás, de um evento mundial chamado “The Word Biggest Eye Contact Event”, organizado pela “The Liberators International”. No Brasil, o mesmo foi divulgado com o nome “Entre Olhares –– Um experimento de Conexão Humana”.  

Sou grata demais a Glauce Pimenta Rosa e seu marido, por ter trazido essa magnífica intervenção para Saquarema. Além, é claro, de todas as pessoas que abraçaram de alguma forma essa ideia iluminada.

A proposta desse evento foi proporcionar um tempo para instigar as relações humanas e o contato físico entre pessoas desconhecidas e que os seres humanos se desligassem, por alguns minutos, do mundo virtual; e fizessem contato se tocando fisicamente. A intervenção aconteceu nas cidades de Nova York, Milão, Viena, Londres, Buenos Aires, Paris, Berlin, Amsterdam, Guadalajara, Estocolmo, Madri e muitas outras. No dia, foi gravado um vídeo que, posteriormente, será editado em Perth, na Austrália.

Pessoalmente, posso dizer que foi uma tarde e um anoitecer mágico. Logo ao chegar, meu primeiro contato olho no olho foi com a Telma Cavalcanti (amiga virtual e que por desencontros proporcionados pela vida ainda não havia tido a oportunidade de conhecê-la). Ela é responsável pelo CACS (Centro Artístico e Cultural de Saquarema), o qual está sempre a lutar pelo desenvolvimento cultural e artístico do munícipio.

Aos novos amigos, muita gratidão por terem estado presentes ao evento e oferecido o seu melhor.

“Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.

Charles Chaplin


  


Postagens mais visitadas