MEU PEDIDO

MEU PEDIDO
(Por Maristela Ormond)
 
Imagem retirada da web
A cada pedido que faço a cada oração proferida, percebo que não devo pedir e sim agradecer ao muito que me foi dado e passou despercebido ao meu olhar desatento.
Percebo que em volta de mim existem pessoas que necessitam muito mais, que tiritam de frio pelas ruas, ou queimam-se debaixo de um sol escaldante, sem uma gota d’água para beber. Percebo que meu cobertor é o mais poderoso do mundo e a minha cama a mais macia. Que a água que bebo a cada manhã ao acordar, é a mais límpida e refrescante que poderia ter. Percebo que embora não esteja viajando pelo mundo e sentindo os prazeres das mais lindas paisagens, posso estar interagindo através um velho microcomputador que ainda possuo para observar o quão lindo é o mundo em minha volta e ao mesmo tempo o quão feio é, quando vejo maldades, mentiras, intrigas e pessoas desfiguradas pela pobreza e pela fome ao redor de meu mundo. Percebo ainda o quão é importante meu agradecimento, pois percebo também que não sou melhor do que nenhum outro ser humano, que todos somos iguais e sentimos a mesma dor, o mesmo frio, as mesmas alegrias e que, portanto, devemos sempre pensar e observar o quanto é válido nos colocarmos no lugar do outro para saber exatamente o que ele está sentindo...
Ao juntar minhas mãos e orar, antes de qualquer pedido, devo agradecer pelo tanto que meu foi dado e ao menos tentar amenizar a dor que muitas vezes, encontra-se bem do meu lado e deixo passar sem uma palavra de conforto, sem um copo d’água para suavizar a sede, sem um pedaço de pão para amenizar a fome.
Mas um pedido preciso fazer e, este sim é importante. Para que todos nós possamos mudar algo em nosso redor, para que nossos olhos se abram ao amor, à tolerância, à caridade. Para que possamos modificar o mundo paulatinamente e sejamos abençoados por uma força maior, a força do amor.  


Postagens mais visitadas